Chantagem leva Conchita Wurst a confessar que é HIV positivo

A drag queen Conchita Wurst, de 29 anos, que ganhou projeção internacional em 2014 após ganhar o concurso musical Eurovision, tornou pública sua sorologia positiva para HIV em uma publicação no Instagram.

A austríaca desabafou em seu perfil na plataforma digital na noite do último domingo, 15, que estava sendo chantageada por um ex-parceiro, ciente de sua condição sorológica e, por isso, resolveu ela mesma falar sobre o assunto.

“Eu não queria vir a público com isso por uma série de razões”, explicou. “O mais importante é a minha família, que sabe de tudo e me apoiou incondicionalmente desde o primeiro dia (…). Em segundo lugar, é uma informação que acredito ser relevante principalmente para as pessoas com quem posso vir a ter contato sexual.”

“Eu tenho sido soropositiva por muitos anos. Isso é, na verdade, irrelevante para o público, mas um ex-namorado está ameaçando divulgar essa informação privada e eu não darei a ninguém o direito de me amedrontar ou afetar minha vida”, escreveu Conchita.

Desde sua vitória no Eurovision, representando a Áustria, Conchita Wurst se transformou em um símbolo LGBT, chegando, inclusive, a se apresentar na Organização das Nações Unidas (ONU), sendo elogiada pelo então secretário-geral da organização, Ban Ki-moon, por sua atuação e combate à discriminação.

HIV

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, mais de 37 milhões de pessoas no mundo vivem com HIV hoje em dia. Desse total, pouco mais de 19 milhões estão em tratamento com terapia antirretroviral.

No Brasil, o Ministério da Saúde aponta que 830 mil sejam portadoras do agente causador da Aids.

Embora muito tenha sido feito no campo do HIV/Aids nas últimas três décadas desde sua descoberta, esse é um assunto ainda bastante permeado por preconceito e desinformação. Poucos sabem, mas uma pessoa HIV positiva com sorologia indetectável, não transmite o vírus, por exemplo. Isso já foi cientificamente comprovado.

heute ist der tag gekommen, mich für den rest meines lebens von einem damoklesschwert zu befreien: ich bin seit vielen jahren hiv-positiv. das ist für die öffentlichkeit eigentlich irrelevant, aber ein ex-freund droht mir, mit dieser privaten information an die öffentlichkeit zu gehen, und ich gebe auch in zukunft niemandem das recht, mir angst zu machen und mein leben derart zu beeinflussen. seit ich die diagnose erhalten habe, bin ich in medizinischer behandlung, und seit vielen jahren unterbrechungsfrei unter der nachweisgrenze, damit also nicht in der lage, den virus weiter zu geben. ich wollte aus mehreren gründen bisher nicht damit an die öffentlichkeit gehen, nur zwei davon will ich hier nennen: der wichtigste war mir meine familie, die seit dem ersten tag bescheid weiss und mich bedingungslos unterstützt hat. ihnen hätte ich die aufmerksamkeit für den hiv-status ihres sohnes, enkels und bruders gerne erspart. genauso wissen meine freunde seit geraumer zeit bescheid und gehen in einer unbefangenheit damit um, die ich jeder und jedem betroffenen wünschen würde. zweitens ist es eine information, die meiner meinung nach hauptsächlich für diejenigen menschen von relevanz ist, mit denen sexueller kontakt infrage kommt. coming out ist besser als von dritten geoutet zu werden. ich hoffe, mut zu machen und einen weiteren schritt zu setzen gegen die stigmatisierung von menschen, die sich durch ihr eigenes verhalten oder aber unverschuldet mit hiv infiziert haben. an meine fans: die information über meinen hiv-status mag neu für euch sein – mein status ist es nicht! es geht mir gesundheitlich gut, und ich bin stärker, motivierter und befreiter denn je. danke für eure unterstützung!

Uma publicação compartilhada por conchita (@conchitawurst) em

 

Leia a tradução da postagem de Conchita Wurst sobre seu HIV:

Hoje é o dia para me libertar da espada de Dâmocles para o resto da minha vida: sou soropositiva há muitos anos. Isso é irrelevante para o público, mas um ex-namorado me ameaça ir a público com essa informação particular e eu não darei a ninguém o direito de me assustar e afetar minha vida no futuro.

Desde que recebi o diagnóstico, estou em tratamento médico, e há muitos anos sem interrupção abaixo do limite de detecção, para que assim não seja capaz de transmitir o vírus. Eu não queria ir a público com isso por um par de razões até agora, eu só quero mencionar duas delas aqui: o mais importante foi a minha família, que soube e me apoiou incondicionalmente desde o primeiro dia. Da mesma forma, meus amigos estão cientes disso há algum tempo e estão lidando com isso de uma maneira imparcial.

Em segundo lugar, é uma informação que acredito ser principalmente relevante para as pessoas com quem o contato sexual é uma opção.

Contar é melhor que ser acusado por terceiros. Espero criar coragem e dar outro passo contra a estigmatização das pessoas infectadas pelo HIV através do seu próprio comportamento e sem culpa própria.

Para meus fãs: as informações sobre o meu estado de HIV podem ser novas para vocês – meu status não é! Estou bem e estou mais forte, mais motivada e libertada do que nunca. Obrigado pelo seu apoio!

(Visited 2 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta