A atriz Transexual Carol Marra estrela “Bruta Flor”, peça teatral com temática LGBT


A atriz transexual Carol Marra estará em cartaz nos meses de maio e junho, com a peça teatral “Bruta Flor“, que tem uma temática LGBT, e que é sucesso de público e crítica. Essa é a terceira temporada da peça.

Pois, ela também já esteve em cartaz nos anos de 2016 e 2017. Além de Carol, também estrela o espetáculo, os atores André Pottes e Fernando Zilli. Dessa vez, a peça ficará em cartaz no Teatro União Cultural, em São Paulo.

Com texto de Vitor de Oliveira e Carlos Fernando de Barros, adaptação e direção de Marcio Rosario, “Bruta Flor” tem trilha sonora montada por Cida Moreira e já foi visto por mais de dez mil pessoas.

“Mesmo sem leis de incentivo, continuamos a fazer nosso trabalho com a grande parceria de apoiadores culturais, e estamos felizes de poder voltar em nossa sexta temporada com força total tendo o público como nosso maior aliado”, comentou o produtor executivo Daniel Chiarelli.

“O texto foi uma encomenda que fiz aos autores em 2016, onde iria apenas dirigir o espetáculo, pois achei que estava na hora de abordar alguns temas delicados que muita gente prefere fazer vista grossa e não abordar, como a Bissexualidade, Preconceito, Homofobia e Violência Doméstica e em 30 dias os autores vieram com esse texto  que faz refletir e que tenho orgulho de ter iniciado essa jornada”, disse Marcio Rosario.

Em sua nova roupagem, o espetáculo conta com um elenco diversificado, corajoso e que traz as suas histórias pessoais como referências. Carol Marra, por exemplo, tem a coragem de sua vida pessoal de ser uma atriz transgênero dando um toque de personalidade a Simone, sua personagem que em “Bruta Flor”, vive um mulher onde sofre de violência doméstica dentro de um relacionamento abusivo de um marido que não se aceita na sua condição de bissexual e que muda drasticamente o convívio matrimonial com o tempo durante sua gravidez.

“Minha abordagem está mais profunda e visceral e há uma dose de espiritualidade, humor, erotismo e nudez. Mesmo com receio do que as pessoas poderiam achar quando recebi o texto em 2016, pois sentia que o Brasil estava ficando muito mais careta e não podíamos falar sobre nada que não fosse do gosto unânime de todos, continuei na busca de patrocínio e apoiadores culturais, Nesses 2 anos de guerrilha teatral, buscamos mais de 215 empresas e  tivemos corajosas 40 empresas que acreditaram no projeto entrando como apoiadores culturais fazendo que conseguíssemos estrear nosso espetáculo orçado em R$ 135.000,00 mil reais, com isso mais de 60% do custo foi colocado pelo nosso bolso e logo depois de nossa estreia em 2016, tive certeza que Bruta Flor era a peça que eu queria ter dirigido e pela receptividade do público de mais de 10 mil pessoas, nesses 11 meses de temporada, acredito que estamos fazendo uma diferença”, pontuou Marcio Rosario que comanda a produtora realizadora, a Três Tons Visuais.

A história de Vitor de Oliveira e Carlos Fernando Barros aborda o relacionamento de dois homens, Lucas e Miguel, eles se encontram presos em um lugar desconhecido e começam a relembrar a trajetória deles, a relação vai ganhando contornos dramáticos, envolvendo a aceitação da homossexualidade de um deles, com um final surpreendente e emocionante, ‘Bruta Flor” tem emocionado plateia de diferentes idades durante sua trajetória.

Texto: Bruno Silva

Deixe uma resposta