Pesquisa norte-americana com empresa farmacêutica testou spray de Ketamina e comprovou diminuição de suicidio entre usuários.


Há muito tempo que a ketamina deixou de ser usada apenas no setor veterinário para o controle da dor em cavalos. Dentre gays, o anestésico virou figurinha carimbada seja em boates ou no momento do sexo.

Mas agora um novo uso foi descoberto para a substância. O American Journal Psychiatry publicou, na segunda-feira 16, estudo que demonstrou eficácia em um spray de ketamina na diminuição de pensamentos suicidas e depressão em seres humanos.

A pesquisa, conduzida em parceria pela Yale School of Medicine, nos Estados Unidos, e a empresa farmacêutica Janssen, afirma que a ketamina teve sucesso em situações de curto prazo dentre pacientes com inclinação ao suicídio enquanto os antidepressivos ainda não haviam surtido efeito.

O estudo teve participação de 68 pessoas divididas em dois grupos – um deles recebeu placebo duas vezes por semana por um mês e o outro, ketamina, no mesmo período. Todos os participantes continuaram tomando antidepressivos.

Os benefícios na aplicação do spray de ketamina foram notados principalmente nas primeiras quatro horas após o uso e até 24 horas depois.

O uso na noite e no sexo
Também conhecida como Special K ou apenas K, dentre outros nomes, a droga, pode ser injetada, cheirada ou, mais costumeiramente, ser tomada adicionada a bebidas.

Dentre os efeitos colaterais estão taquicardia, pressão alta, náusea, vômito, depressão, alucinações e até morte. Em altas doses, usuários podem desenvolver o chamado “K-Hole”, uma experiência de quase morte. Por causa de um desligamento e torpor imenso que a droga cria no momento do uso, muitas pessoas também podem ficar com dificuldade para se locomover por minutos ou horas, o que a faz também ser conhecida como “droga do estupro”.

Deixe uma resposta